Implante de Marcapasso

Marcapasso

O marcapasso é um dispositivo eletrônico idealizado para corrigir determinadas doenças do coração, que reduzem a frequência dos batimentos cardíacos e produzem sintomas incapacitantes. O marcapasso artificial substitui o sistema elétrico natural do coração que, em condições normais, trabalha com cadência e frequência adequadas e responde de acordo com as necessidades do corpo humano.

 

Como funciona o marcapasso?

O marcapasso é composto por um gerador (circuito eletrônico e uma bateria)

e eletrodos, que são fios metálicos revestidos por uma fina camada de silicone.

Conectados ao gerador, conduzem a eletricidade para o coração.

 

Quando o marcapasso é utilizado?

O marcapasso é utilizado para aumentar a frequência cardíaca nas doenças que

reduzem as propriedades elétricas do coração, também denominadas bradicardias

ou bloqueios. Nos casos em que o problema é a frequência alta ou taquicardia,

utiliza-se outro dispositivo, denominado cardiodesfibrilador implantável, que pode

solucionar essa anormalidade.

 

Como funciona o coração do paciente que necessita de marcapasso?

O paciente que necessita de marcapasso tem um coração lento, a chamada bradicardia. Batendo devagar, pode produzir sintomas como tonturas, vertigens, desmaios, cansaço, falta de ar e edema. Se o médico utilizar o marcapasso para que o coração volte a bater com frequência normal, haverá redução ou até mesmo desaparecimento dos sintomas.

 

Como é o procedimento para colocar o marcapasso?

No mundo, milhões de pacientes já foram operados para receber um marcapasso. A cirurgia é realizada em bloco cirúrgico, apresenta riscos - como qualquer procedimento invasivo, dura em torno de 2 horas, e o ideal é que o pós operatório imediato seja realizado no Centro de Terapia Intensiva - CTI. 
Quando avaliado pelo médico especialista, que indica a cirurgia, as etapas do procedimento são explicadas detalhadamente ao paciente.
Após a limpeza rigorosa da região peitoral do lado esquerdo ou direito, o local abaixo da clavícula recebe anestesia local e é feita uma pequena incisão. Em seguida, o eletrodo do marcapasso é cuidadosamente introduzido por uma veia até o coração. O médico monitora o posicionamento correto do eletrodo no coração por meio de um sistema de raios X. Depois de testar a posição e o funcionamento do eletrodo, ele é conectado ao marcapasso, que é implantado em uma pequena “bolsa” sob da pele. Para finalizar, o médico fecha o local da incisão.

 

Como é o pós-operatório da cirurgia de marcapasso?

O paciente recupera-se em pouco tempo após o procedimento de implante. Os sintomas de tonturas e falta de ar costumam desaparecer imediatamente após a cirurgia. Pode haver dor ligeira no local do implante, mas esse desconforto em geral diminui rapidamente e em pouco tempo o paciente não sentirá mais nada.
Entretanto, o médico responsável pelo tratamento deverá ser consultado em caso da incisão cirúrgica ficar vermelha ou esquentar, inchar ou escorrer líquido e se o paciente apresentar febre, tontura, dores no peito, cansaço ou fraqueza importante. Nos primeiros dias após a intervenção, movimentos amplos com o braço do lado do marcapasso devem ser evitados.
Logo após o implante, haverá a primeira avaliação e o médico verificará a atividade cardíaca, as funções e os parâmetros do marcapasso. A programação será ajustada às necessidades individuais de cada paciente, o que é muito simples, pois o médico utiliza um aparelho externo denominado programador para a essa avaliação. Na maioria dos casos, o paciente nem percebe que o aparelho foi reprogramado.
A partir desse momento, o médico marcará acompanhamentos em intervalos regulares, geralmente a cada seis meses. Nesses exames, avalia-se detalhadamente o funcionamento do marcapasso e o estado da bateria.

 

Onde o paciente fica após a cirurgia?

O paciente retorna ao leito, na UTI, e pode receber alta no dia seguinte para o quarto.

 

Quando o paciente que implanta um marcapasso pode retomar sua vida normal?

O tempo de recuperação difere entre as pessoas, mas a maioria dos pacientes poderá retomar suas atividades diárias habituais 30 dias após o implante.

 

Depois da alta, o paciente pode levar uma vida normal? Há alguma restrição?

Normalmente, o paciente pode retomar o seu estilo de vida habitual poucos dias após o implante. Após 30 dias, depois que a incisão estiver completamente cicatrizada, poderá realizar tarefas domésticas, trabalhos de jardinagem, viajar e dirigir. Também poderá tomar banho de chuveiro, fazer fisioterapia, ginástica e nadar. No primeiro mês após a cirurgia, na maioria dos casos, o paciente poderá exercer sua profissão, dedicar-se a seus hobbies habituais, realizar novamente suas atividades esportivas ou sexuais sem problemas. Se tiver dúvidas ou sentir desconforto, basta consultar o médico.

 

Qualquer pessoa pode colocar um marcapasso?

Sim, desde que a indicação seja feita por um cardiologista, confirmada por exames habituais e baseada nas diretrizes das sociedades de cardiologia e dos departamentos de estimulação cardíaca.

 

Existem contraindicações para utilizar um marcapasso?

Não se conhecem contraindicações absolutas à utilização dos marcapassos. Mas não devem ser implantados em pacientes com infecção ou sem perspectivas de melhora de sua doença. A idade e o estado clínico do paciente determinam o melhor tipo de marcapasso.

 

Quais os riscos associados ao implante do marcapasso?

Um número muito pequeno de pacientes pode apresentar complicações durante a cirurgia para implante do marcapasso, que incluem pneumotórax (entrada de ar nos pulmões provocada pela agulha de punção das veias), hematomas, deslocamentos dos eletrodos, lesões de artérias, infecções, traumas, isquemias, arritmias, e em raríssimos casos o óbito. A maior parte dessas complicações são normalmente corrigidas pelo especialista.

 

Que cuidados o paciente deve ter com o marcapasso?

O portador de marcapasso deve fazer o repouso adequado logo após a cirurgia e realizar os retornos regulares ao médico especialista em marcapassos, que fará as revisões e as programações, visando ao bem-estar do usuário.

 

O portador de marcapasso pode levar uma vida normal?

Sim, desde que não existam situações limitantes provocadas pela gravidade da doença cardíaca de base, como insuficiência cardíaca congestiva e arritmias graves.

 

Quais são os benefícios associados ao marcapasso?

O marcapasso melhora a capacidade do coração de bombear o sangue regularmente e no momento adequado. Alguns pacientes dependem totalmente do marcapasso para fazer o coração bater. Quase todos deixam de sentir sintomas como tonturas, vertigens, desmaios, falta de ar e cansaço e sentem-se mais dispostos e com mais energia para as atividades habituais. Muitos se sentem mais seguros, porque o marcapasso mantém o coração em constante atividade.

Rua Dr. Chassim, 117 - Centro - 3º Andar - Sala 302 - Sete Lagoas/MG  (31) 3177-6919  atendimento@cardiolazzi.com.br

Rua Bueno Brandão, 136 - Consultório 102 ED. Biofísico - Centro - Curvelo/MG (38) 3722-7636 - atendimento@cardiolazzi.com.br

Diretor Técnico - Dr. Frederico Bartolazzi - CRMG 44.471 / RQE 26.377